Cassol critica fechamento de fábricas de fertilizantes

  • Imprimir
  • Relatar um erro
  • A+ Aumentar a fonte
  • A- Diminuir a fonte

Durante uma audiência pública na Comissão de Agricultura e Pecuária do Senado, o senador Ivo Cassol (Progressistas-RO) fez duras críticas a decisão da Petrobrás de interromper a produção de duas fábricas de fertilizantes localizadas em Sergipe e na Bahia.

De acordo com a petroleira, a decisão de fechar as fábricas está alinhada com o posicionamento estratégico de saída integral das atividades de produção de fertilizantes. Parlamentares dos dois estados alegaram que a medida vai trazer forte impacto as economias de Sergipe e Bahia além do desemprego que pode chegar a 1.500 demissões. Eles cobraram uma solução negociada com a Petrobrás.

Nos últimos anos, o Brasil importou cerca de 75% do total de fertilizantes consumidos, sendo que no caso específico dos nitrogenados essa dependência superou a casa dos 80%. Com a paralisação da produção das duas fábricas, a dependência brasileira de importação passará a ser superior a 90%, elevando os riscos estratégicos e de segurança de abastecimento ao agronegócio do País.

Para Ivo Cassol, presidente da Comissão de Agricultura do Senado, a decisão afeta diretamente o agronegócio e é fruto da corrupção que assolou a companhia nos últimos anos. “Vamos acabar reféns das unidades produtoras de países como a China e os Estados Unidos. A Petrobrás alega prejuízo, mas prejuízo mesmo foi a roubalheira em seus cofres nos últimos 14 anos, agora o que não dá é para cobrar a conta do produtor e dos consumidores”, finalizou.